É Natal! [+18]

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas, pessoas em pé e área interna

É Natal!

Ela veste um tubinho vermelho, um salto agulha e com certeza um fio dental. O sorriso estonteante, com lábios carnudos pintados de rosa, me enlouquece. Os olhos grandes, contornados de preto, a deixam com ar de mistério.

Quando ela se movimenta o gorro de Papai Noel balança e o vestido sobe. Quando ela abaixa, o decote do vestido me deixa nervoso. Ela pega a taça de champanhe delicadamente e leva até os lábios… Como eu queria ser aquela taça e sentir aquela boca.

Ela senta do outro lado da sala, cruza as pernas, me olha profundamente e sorri. Ela é foda, sabe o efeito que tem sobre mim. De olhos fechados, ela toma um gole demorado e passa a língua nos lábios, só para provocar.

Olho em volta e a casa está cheia e não tenho coragem de arrastá-la para o quarto. Coloco uma almofada no colo para esconder a ereção, apoio os cotovelos e começo a conversar com o tio dela que nem me lembro mais o nome.

Hora da ceia, todos estão se servindo. Todo mundo querendo comer chester e eu querendo comer a anfitriã. Ela, como se soubesse todas as coisas pervertidas que estou pensando, passa por mim e roça a bunda no meu pau.

– Amor, vem no quarto pegar seu presente. – Sussurra.

Ela sai desfilando na minha frente e assim que entro no quarto ela se ajoelha e desce minha bermuda até os pés. Me põe na boca com mais avidez do que tomou o champanhe. Entrelaço meus dedos em seus cabelos e a conduzo em busca do meu alívio. Ela não hesita e me devora com vontade, com necessidade.

Meu alívio chega e me perco. Ela vai até o banheiro, retoca a maquiagem e volta, sorrindo.

– Este é meu presente? – indago

– Seu presente sou eu, amor. Mas isso foi só uma prévia do que pretendo te dar hoje. – Ela sorri, me beija na bochecha e me deixa no quarto com o pau latejando novamente e a mente imaginando o  que ela pretender me dar.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *