Tudo na vida tem jeito, menos a morte

Olho em volta e me pergunto o que está acontecendo. Estou em casa, na cama, mas não me sinto em meu lugar. Visualizo as mensagens em meu celular e não sinto vontade de responder. Pego um livro, leio uma, duas, três páginas… Não consigo assimilar. Estou perdida no mundo porque você se foi. Perdida no passado, nas lembranças, na saudade.

Fecho os olhos com força, tentando amenizar a dor. Mas não adianta, ela não ameniza – só aumenta. Meus pensamentos vão até você, tentam achar o porquê, mas a resposta não vem. Não choro, pois já não tenho mais lágrimas para chorar. Só sinto. Sinto muito, muito mesmo.

Abro os olhos e eles vão diretos para as fotos que me encaram e o seu sorriso, aquele lindo sorriso, me ilumina. Meu coração formiga, minha barriga sente frio e por um milésimo de segundo penso que tudo vai ficar bem. Mas, eu sei, o foda é que eu sei, que não, não vai. Como posso ficar bem, se o que me fazia bem, não vive mais?

Penso em Deus, em família, em amor, em esperança. Penso em tudo que deveria me deixar melhor, mas nada funciona. Nada funciona!

Me encolho em posição fetal, penso em como seguir em frente, em como sobreviver. Pergunto ao universo o que ele estava pensando quando te tirou de mim tão cedo.

Escuto você na minha cabeça dizendo “Calma amor, respira. Tudo na vida tem jeito, menos a morte”. Por que logo ela não tem jeito? Por que logo a coisa mais dolorosa do mundo tem que ser invencível? Por que ela tem que chegar antes da hora? Por que? Por que? São muitos porquês, nenhuma resposta.

Mais uma vez, só sinto. Sinto o vazio, sinto a solidão. Sinto dor. Sinto saudade. Sinto muita saudade. De você. De nós. Do que a vida nos tirou.

Tudo na vida tem jeito.

Menos a morte.

(E a saudade que sua morte deixou em mim)

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *