Sentimentalismo

Eu sinto muito

O título deste texto não é um pedido de desculpas, como vocês imaginaram. Na verdade, ele expressa a intensidade dos meus sentimentos.  Eu sinto muito tudo.

Meus sentimentos me arrebatam, me consomem.  Quando sinto algo, é como se uma onda me engolisse e eu não pudesse fazer nada. É como se eu fosse uma piscina que já está cheia, mas continua recebendo água. Transborda.

Seja de ódio ou amor, alegria ou tristeza, saudade ou indiferença. Eu sinto tanto, que às vezes dói. Dói em mim e dói nos outros.

Ser sentimental demais é assustador. Os sentimentos bons são maravilhosos de sentir, me deixam extasiada.  Mas, infelizmente, nem tudo que sentimos é retribuído, então surge o problema, a dor.

A falta de reciprocidade me enlouquece.  Sempre imagino estar recebendo menos do que deveria. Mais um problema: espero muito das pessoas. Espero receber tudo na mesma forma, com a mesma intensidade. Mas, na maioria das vezes, não recebo e acabo me frustrando por criar expectativas.

A frustração é terrível. Ela vem acompanhada da incerteza, do vazio e daquela sensação de estar incompleta.  Sentimentos e mais sentimentos que não cabem no peito e nem mesmo na alma.

Então eu durmo, tento afugentar todo o turbilhão de emoção que habita em mim. Tento dizer não a elas, mas com isso, digo não a mim mesma e me perco novamente na confusão que eu sou.

Eu sinto muito e não aguento. Sinto muito, mas não queria sentir nada.  Eu sinto muito por sentir muito.

 

Comentários