RecomendoUma boa leitura

O chamado de Cthulhu

Obra-prima de H.P. Lovecraft.

Com a morte do seu tio-avô George, professor de idiomas semíticos, o rapaz … recebeu seus arquivos e objetos como herança, já que seu tio não era casado e nem tinha filhos. Entre estes itens, havia uma caixa que parecia ser importante ao professor. Ao abri-la, o rapaz se deparou com um conteúdo enigmático e secreto, contendo uma escrita hieroglífica desconhecida e foi então que ele resolveu procurar o criador de tal conteúdo. Havia uma escultura em destaque, algo que somente uma imaginação doentia poderia conceber: um ser humanoide, com cabeça de polvo e aspectos de um dragão. Amedrontador de fato. Uma pilha de documentos acompanhava esta imagem, onde o principal estava nominado como “Culto a Cthulhu”.

O conto referia-se ao primeiro contato que o arqueólogo George teve com a escultura. Certo dia, um nobre rapaz chamado Henry procurou-o, dizendo que ele mesmo fez a imagem a partir de um sonho perturbador, onde haviam cidades estranhas, que pareciam ser mais antigas que os Jardins da antiga Babilônia. Neste sonho, blocos titânicos foram arremessados do céu, todos gotejando um limo verde e sinistro. Hieróglifos cobriam paredes e colunas, e de algum ponto abaixo uma voz potente pronunciou esta frase: “Cthulhu fhtagn”.

Em outro lugar do país, o inspetor John Legrasse encontrou a mesma estatueta de coloração preto-esverdeada, durante uma batida policial, numa suposta reunião de feiticeiros. Ele decidiu então pesquisar sobre o artefato, até que encontrou alguém que pôde compreender os hieróglifos que se encontravam na base na figura: o antropólogo e explorador William Webb. Webb recordou-se de uma expedição que havia participado anos atrás à Groenlândia e Islândia, onde teve contato com uma tribo de inuítes (vulgarmente conhecidos como esquimós). Ele acabou adquirindo habilidade em compreender a linguagem deles e foi o que permitiu decifrar a frase na estátua, que dizia: “Na casa dele em R’lyeh repousa em sonhos o Cthulhu adormecido”.

Ao redor do mundo, vários relatos de sensitivos são registrados, todos relacionados à esta antiga e misteriosa criatura, assim como várias mortes repentinas relacionadas à mesma.

O rapaz seguiu relatos de marujos, que eram atraídos por um chamado e decidiu subir a bordo de um barco, com uma tripulação de curiosos. Foi então que encontraram a misteriosa cidade de R’lyeh, emergindo das águas, Cthulhu e suas hordas. Todos estremeceram de medo ao vê-lo. Furioso, Cthulhu com um só golpe ceifou a vida de três homens. Depois disso, os que sobraram fugiram e nunca mais voltaram ao local, pois não era possível deter uma criatura de poder dessa magnitude.

E aí, ficou com medo ou teria coragem de ler esse clássico conto de horror?

Comentários