Etc&talPra ouvir

5 álbuns para entender o Brasil

Não é novidade para ninguém que o momento atual de uma nação influencia no cenário musical. Pensando nisso, resolvemos fazer uma lista de álbuns nacionais para entender (ou pelo menos tentar) o Brasil através de suas figuras musicais. Organizamos o texto em ordem cronológica, para ficar mais fácil de acompanhar. Vamos a lista:

Jorge Ben – Samba Esquema Novo

Esse álbum é de 1963, um ano de “calmaria” se comparado ao que viria depois. Em 1962 o Brasil conquistou sua segunda copa do mundo. O álbum exemplifica bem o momento que o cenário musical vivia, sem letras de protesto e com músicas bem dançantes. O álbum conta com as músicas “Por Causa de Você, Menina”, “Chove, Chuva” e o sucesso “Mas que nada” que foi regravado alguns anos atrás por Sérgio Mendes e o Grupo norte americano Black Eyed Peas, atingindo o topo das paradas internacionais.

 

 Chico Buarque – Construção

O álbum é de 1971 e foi composto no período de exílio de Chico Buarque. O álbum faz claras críticas ao Regime militar, que era vigente na época.  O álbum conta com as músicas “Cordão”, “Cotidiano” e “Construção”. O Homônimo é genial e contém um jogo de palavras: “Só vale terminar com proparoxítona”.

 

Titãs – Cabeça Dinossauro

Esse álbum é de 1986 e foi lançado logo após o período da ditadura militar brasileira. O álbum faz um apanhado de vários temas, como: politica, religião, sociedade e opressão. Um álbum que representa bem o momento confuso vivido naquele ano. O álbum conta com os sucessos “Bichos Escrotos”, “Homem Primata” e “Policia”, que anos depois seria regravada pela banda Sepultura, atingindo o cenário internacional.

 

Racionais MCS – Sobrevivendo no Inferno

Esse álbum é de 1997, vendeu um milhão e meio de cópias, mesmo sendo de uma gravadora independente. Um número bastante expressivo. Um álbum retrata a rotina de violência vivida pela população dos bairros da zona sul de São Paulo. Estão presentes no disco as músicas “Mágico de Oz”, “Formula mágica da paz” e o grande sucesso “Diário de um detento”, que foi literalmente baseada no diário de um detento que esteve presente no massacre do Carandiru.

 

O Rappa – Lado B Lado A

O álbum foi lançado na virada de século e retrata o sentimento dos cariocas com a situação vivida nos subúrbios e favelas. Entre 1991 e 2000, o aumento de moradias em favelas foi de 22,5%. O disco conta com mensagens claras e objetivas, sem muitos rodeios. Estão presentes no álbum as músicas “Me deixa”, “Minha alma” e “O que sobrou do céu”. A última, por sinal, continua atual. Para você que mora ou trabalha em um centro urbano, você ainda consegue ver o céu?

E ai, gostou? então compartilha!

Comentários