Bola em Jogo

O Barcelona não é meu

 O Barcelona não é meu.

Meu é o Fluminense, mas poderia ser o Flamengo, o Vasco, o Botafogo…  Meu é até o Duque de Caxias, time da cidade na qual fui criada. Mas não, o Barça não é – e nem quero que seja – meu.

O Barça é de muita gente ultimamente.

Quando eu era criança todos os meus amigos sonhavam em jogar no time do coração. O sonho unia dois amores: o pelo esporte e o pelo time. Hoje nossas crianças torcem mais para os times de fora e sonham em jogar neles.

Não apenas os pequenos, os nossos adultos também estão sendo conquistados. Abro meu Facebook e vejo um monte de “Meu Barça” pra cá, “Meu Real” pra lá. Os brasileiros discutem com tanto fervor, sabem tão bem a história de cada um, que eu fico admirada. Será que conhecem, ao menos, a história do próprio time? Ou melhor, será que eles torcem por algum time daqui da forma que torcem para os de lá?

Não há problemas em torcer por uma equipe de outro continente. O problema é torcer MAIS para eles do que para os nossos.

Eles argumentam dizendo que O Barça tem estrelas, tem Camp Nou. Que o futebol lá é arte e aqui é só sujeira. Ok, não estão sem razão. Entretanto, será que eles sabem que o país que mais recebeu o prêmio de melhor jogador do mundo é o nosso? Será que eles lembram que é graças aos NOSSOS clubes, que mesmo com pouco dinheiro e com  todos os problemas, descobrem e lançam a maioria dos craques?

Nós não temos o Signal Iduna, o Camp Nou ou o Bernabéu. Não temos Neymar,  Messi, Cristiano Ronaldo ou Buffon.

Mas e daí?  Nós temos Maracanã, Morumbi e Mané Garrincha. Nós temos Diego, Henrique Dourado, Geromel, Jô…  Não são tão bons quanto os de lá? Tudo bem, mas são os nossos e merecem mais respeito!

O Barça não é meu, o Real não é meu e nenhum outro time lá de fora é meu. São times que admiro? Talvez, mas não times que eu amo.

Não deixem  nosso futebol morrer – porque sem ele o futebol mundial não seria o que é.

 

Comentários