Bola em Jogo

A eliminação dói

Não importa para qual time ou em qual campeonato seja, a eliminação dói.
Quando acontece no último minuto, com uma combinação de resultado que para muitos era improvável, dói mais ainda.
“Como pode? O time foi melhor, jogou mais futebol que todos os seus adversários, a torcida lotou os jogos!” Reclamam os torcedores. O Flamengo merecia se classificar, mas o destino, o papa ou Deus, não quis que ele seguisse em frente.
O fato é que tudo muda depois de uma desclassificação. As expectativas criadas são jogadas no lixo. O elenco, que parecia bom, começa a parecer limitado para alguns. O técnico, sempre ele, é o culpado por tudo.
Surge o sentimento de injustiça, de incredulidade. A desclassificação de agora mistura-se com as anteriores.
Há raiva, há tristeza, mas há paixão. E é essa paixão que vai consolar elenco e torcida nesse momento. Juntos e apoiando um ao outro, ambos seguirão lutando por outras competições. Foi o fim da Libertadores, não da temporada. Ainda tem Brasileiro, Primeira Liga, Copa do Brasil e Sul-Americana e não há quem duvide que o Flamengo têm grande chances de ganhar cada uma delas.

Comentários