Atualidades

“Merecemos os políticos que temos!”

Achou o título absurdo? Pois é, aposto que você não foi o único. Mas até que ponto ele está tão errado assim?

No último sábado(12), uma situação um tanto quanto incomum aconteceu em um supermercado em Natal, no Rio Grande do Norte. O Sam’s Club anunciou uma Smart TV Samsung de 55 polegadas, por 279 reais. Isso mesmo. por APENAS 279 reais!  O anúncio ainda mostrava a possibilidade de um parcelamento em  10x sem juros.

A confusão começou quando oito consumidores resolveram adquirir o produto pelo preço informado na etiqueta. Porém, o gerente da loja impediu que a compra fosse realizada, alegando erro na digitação do valor. Irritados e insatisfeitos, os clientes acionaram o Procon, que a princípio recomendou que a loja vendesse o produto pelo preço anunciado.

Mas o caso não terminou por aí. A DECOM (Delegacia Especializada de Defesa do Consumidor), decidiu apurar se os clientes teriam ou não, o direito de comprar da TV. O delegado Osmir de Oliveira Monte, titular da Decom, irá chamar os envolvidos para depor. Segundo ele, há dois lados nessa história: “Ou eles estão certos e o estabelecimento precisa vender ao preço indicado na prateleira, ou a desproporcionalidade do valor real para o errado indicaria, por si só, que não haveria como ser aquele da etiqueta o preço do televisor. Vamos apurar para ver qual das duas ocorreu neste caso”.

Clientes x loja: quem tem razão?

O supermercado cometeu uma falha e ninguém está falando o contrário. Porém, ele não agiu com desonestidade.

Em nenhum momento a loja resolveu colocar à venda uma TV que vale quase 3 mil reais, por apenas R$279 de propósito. Até porque isso seria loucura, não acha? Tratou-se de um erro humano e todos nós estamos suscetíveis a erros. E não adianta vir dizer o contrário…

Essa situação é bem diferente daquelas ofertas de Black Friday, por exemplo. Todo ano, o Procon identifica inúmeras empresas que agem de forma desonesta, querendo lesar o consumidor. Ou você nunca viu as notícias das “falsas ofertas”, onde a loja aumenta o preço do produto uma semana antes, para no dia da promoção parecer que está dando desconto, quando na verdade apenas voltou a vender a mercadoria pelo preço normal. Isso sim é agir de má fé! Notaram a diferença?

Não quero dizer que a loja está correta e os clientes errados, mas cada caso é um caso. Agora, não podemos simplesmente “exigir” nossos direitos e deixar de lado o bom senso. Essa situação da TV é um caso óbvio de erro de digitação e pronto. Mas nós temos aquele famoso ‘jeitinho brasileiro”, onde queremos sempre tirar vantagem e sair ganhando. Fazer o que…

Nossa má fama “lá fora”. Sujou pra gente!

Com a internet e as redes sociais, as notícias voam e dessa vez não foi diferente. O caso chegou ao exterior e os gringos ficaram horrorizados com a falta de sensibilidade e honestidade dos brasileiros.

O site NewsAbBC, especializado em economia, publicou uma nota no rodapé:

“Brasileiros reclamam que são roubados pelos políticos, reclamam que seus impostos são os maiores do mundo, reclamam que o país não oferece empregos e oportunidades, enfim, reclamam de tudo […] e quando eles têm a oportunidade de colocar a cidadania em prática, querem passar os outros para trás. Esse caso da TV que foi anunciada com o preço errado reflete bem o caráter de um povo. Eles merecem o governo que têm.”

E aí, eles estão errados? Não!

Gente, é aquela velha história: como você pode reclamar da corrupção se você quer subornar o guardinha, falsificar carteirinha de estudante pra pagar meia e adora usar aquela frase clichê “achado não é roubado”?

A diferença entre nós e os políticos é que enquanto a gente dá 50 reais pro policial pra evitar uma multa, eles roubam milhões. Mas como dizia a minha avó, roubar 1 real ou roubar 1 milhão dá no mesmo: É ROUBO!

O povo brasileiro tem que parar com essa mania de fazer coisas erradas e se achar o máximo por isso. Tirar vantagens dos outros e agir de má fé não é sinônimo de ser legal ou inteligente e sim, sinônimo de ser mau caráter. Como podemos exigir políticos honestos se nem nós somos?

A confusão do valor da TV é um exemplo pequeno e simples de como temos que ter mais sensibilidade e bom senso. Já imaginou se a gente for querer tirar vantagem de tudo? Onde vamos parar?

Por isso, pense bem em suas atitudes e reflita antes de tomar qualquer decisão.

Isso fará bem pra você e pro mundo!

Comentários